por um fio de serotonina

eu de novo

por um fio de serotonina

eu por um fim procurando

por um fio de serotonina

sustento minha pisada

minha cara flopada

minha roupa furada

encena num filme em vertical

rasgando o vento

segura esse acaso ae

ou será que foi

sorte ou foi tu que

eu vi

numa conversão de vhs

pra dvd meu blues com

tu

eu fecho os olhos e lembro

de eu em tu

eu lembro da gente indo até

um satélite e voltando numa

projeção celeste

mas cê não me conhece

papo de doido eu amo

mano humano

cê não me conhece

eu vim de um lugar onde

embalagens são apaixonantes

eu vim de um lugar onde embalagens

meio que amam e me

entendem

com facão fogo caneta pistola palavra

dente

eu vim de um lugar onde embalagens

são tipo gente

que pensa

que sente

.

.

.

(I came from an island that dreams awake)