Pensamentos e dúvidas que trazem fôlego para quem nada nas águas turbulentas de nossa época. Esse texto abalou uma ideia minha (e acredito que de tantas outras pessoas) de que o meio virtual aprisiona o pensamento ao fazer dele mais um objeto de consumo. Mas percebo que é possível falar de subjetividade para subjetividade, aqui, ainda. Cocriar e colaborar. De uma sagacidade monstra, Sara!