I’m keep very interested about exact sciencies about the souls kissing in astronomical drawings like the explosions of orquideas under my feet about de nuclear physics and rockets in American streets like how I hate the white boys with the Chicago’s boys playing with hate I keep talking about Leões nas chácaras coloniais rugindo bebendo sangue entre plantas medicinais and food and energy in metropolis ranking e … se de madrugada somos avistados com um oceano vazando seus naufragados seus refugiados pelo pulmão pulsando plácidos lépidos tardios pulando de bairro em bairro com um alarde bombardeando nos pulsos sem ligar pra emergência de sonhos roubados sem poder voltar pro ninho e perder ou ceder de novo pisando em tantos sobressaltos faço chocar os ovos só com a alta tensão um mais um e já três existem ao invés de dois existirão Os rios etéreos aéreos dos trópicos Não poupam ninguém não falham Fragmentados Mas fazem sorrir teu rosto ao acordar Reconfiguram a noite me perde A manhã consente com o arrombo aceita o descanso adota e gesta o anoitecer conserta o ser Sinto vontade de dançar de pandeiro e cuíca e toda vez que por aqui ela passa aqui ela fica escorrendo em mim escorregando entre montanhas eu faço cevada suída carboxílica sativa meio assim sabe Chamo por uma inspiração batendo na palma da mão chamando por um troco um truque quase magia E vem senta no bar e pede um gole Na cama de caça gata Mas de samba e celofane misturados nos ecos dos palavrões violões batuques reclamações fantasmas nas edificações os cachorros suas formas ideais alguns acorrentados pelo zelo hábil do programa de possessão de passeio Evada Enquantos outros se alimentam De olhares na Rua Andam soltos algum murmurinho Evada aqui acolá Os copos limpos titlintando enquanto a gente brinca de mímica na tela preta E o que já é teu também meu bem tu aceita? agora sim esvoançam cola branca santinhos de Uma dessas eleições captadas Como pesadelo Carregando pulsos alados Pincéis de fogo Jorrando vida Ciclica clica nos coloridos Embala! é pra levar Dai venho entendendo o porque do pixo do muro da lua achou que ela não voltava acá? Vivo buscando moedas técnica e música Pra comprar café e/ou Cola E tudo tudo daquilo que for líquido no seu ritmo A gente imagina Transparência na praça e que então Existe dança e outros passos pra decorar fizemos um buraco na terra como que pra gente se ver e dar oi um de cada lado dela arrancando as penas daquela canção pincelei a vontade própria vitória de orgulhar an heaven aguarda o grave sopro para no agora arranhamos velas ideológicas em volta do mundo das idéias besteira ela me revira por dentro como algo mal digerido e da cãibra da língua até o tato de lã perdido da alma verter dos assombros vetores tangíveis que nos façam florir com a madeira e sua quietidão A Flor ama live livre louva Acostuma se a vida da lama Detesta estufa Ela brilha a Flor fora da Estufa ela brilha No chão com fauna Entramos atentos no laboratório, observamos de perto a Quimicselfie like two birds eating together Alimentamos no escuro planilhas de geometry blooding flashs of the king falling behind my neck imagenes de check (O problema do Brasil é_____) in paz consumação, perdão, fim de filme, pipoca no chão. problema resolvido. E ainda na mesma ela vai very interested about the pay play and de cost of the kings with no word less or more Ela diz I believe in fact I believe in prolixity In what doesn’t mine E apesar daquela vibe I believe in light a shadows lilás fairy Do que restou daquela virilidade doente I believe in apólices returns in the savage in middle of cartas de Anchieta desabamentos enchentes no Rio os (des) sambamentos do líderes e velhos barbados marchinhas de carnaval fire and chaos lost in the cities É ela que te diz quanto salta do trem while your heart are here I believe we can save all off Te pega pelos ombros e te sacode o corpo apesar de que sabe no fundo A cabeça de cada um é a cabeça de cada um …. Loucamente você me entende? ela me perguntava me chacoalhava na rua como quem quer nada Deslizando os dedos na própria cara se consiste no preso na boca ela Toda aquela cena respondia com sol de tecla rara. Avisou anybody here can andar pelo gelo Abraçar pinguins costurar um sonho por toda a costa to the bears E assim o fiz aqueles choques de cortes de histórias figurinos para memória caíram sobre mim feito um susto os créditos subindo a comunidade zanzando zunindo de esfera em esfera a língua das abelhas só fizeram aumentar a turbulência a minha vontade de ir comprar cigarros de iate ali em marte do you know that abstractum carissimi pra nunca mais restar aqui Braços abertos conexão de tupi fallings pieces promessas geodésias in my mind. Are you already? Prepare sua bagagem I dream It and I keep it thinking in a egyptian queen saying move your body in animalprintsbiuri Se a beleza não mente Como continuo pensamento about how christmas stars chegaram até aqui em yuerere about biology because me encontro sempre quase letárgico na margem conversando quando não existindo no balançar das folhas atrasdo No escuro da garagem se quiser me procurar na web Aceno na localização Do bicho selvagem por estar na teia mundial quase entrando em colapso Existencial Pinte meu sangue no lugar depois de “Found” Nos edifícios que estão galopando em cinzas me procure Nos desperdícios de poesia de filosofias like that barn swimming in a fishbowlike Olha em volta my country my cities are no sleeping Because IM FROM THE WAST ISLAND THAT DREAMS AWAKE quietinhos os menino nas esquinas sonhando como telúricos publicitários jornalistas de fratricídios profissionais geodésias em festas acabadas já fingindo um ânimo vago válido vasto pungente sempre como que às 5h da manhã nas pontes nas calçadas de um outro poema keep thought about a técnica diaspórica de respirar embaixo dos problemas Keep It nós aqueles seres We keep swimming / in a sea / in a sea of ​​leaves in the wind In: paraguaias terráqueas latinas Brazilians tears

.

.

.

Edit: maybe fake is what I like…