Jack Kerouac devorado e vomitado pela Jack Que Me Invade.

Molha a estrada machucada

Escapou o ouriço do

Mar para arder em ataque

Camuflado na dança

Contra os heroicos

Cactos de praia

Aprenda, meu dengo

com os

Caranguejos

Se tivesse o cacto

Num vaso e não

Disperso nos pontos

De indecisão da areia

Saberia que lágrimas

A gente guarda decora

A estrada de ondas

Que ignoram a terra

Porque não vem a gota

como

Chuva tempestade num

Copo que se entorna

As lágrimas do ouriço

Se desprendem de

Seus espinhos

Feito música e

Assim se fizeram as

Águas: de espera isenta

De recompensa

Escuta estranha às

Estátuas e suculentas de

jardim

Orquestra surda à

dor que não se diz