espremo texto da folha

à navalhadas de unhas roídas e nem parece

que o fim da frase

vai parar nas outras vindas

defolhas debaixo do bloco

a gravidade das palavras

des pedazado pesado coloco

nos astros expelidos

vírgulas pus caretas certezas apelidos

escrevo caras e cravos expostos

dentro do banheiro

na frente do espelho

página

sobre

página

meu rastro desordenado

na parede colado

o cabelo de enfeite

um sinuoso s

marcas

nas falas no labor en el trabajo

olheiras e nem passei maquiagem

perdón, director

quando fui dormir já era tarde